Covid-19: E-commerce é alternativa para pequenos e médios

Em meio à crise do Novo Corona Vírus, o mundo do varejo está vivendo um mar de desafios e incertezas. No entanto, percebemos que, em função disso, o E-commerce representa uma alternativa para o pequeno e médio varejista. 

O início da quarentena oficial no Brasil gerou o fechamento de lojas físicas, por isso muitos lojistas enxergaram nos canais digitais uma maneira de continuarem vendendo. Em paralelo, o comportamento do consumidor também se adaptou e gerou mudanças, neste período. Por isso, observamos que o perfil de novas lojas criadas também mudou, acompanhando essas novas tendências de consumo. 

Analisamos um aumento expressivo nos segmentos de games, fitness e delivery de comida, substituindo outros menos domésticos como restaurantes, bares, academia e cinema.

Como o esperado, também registramos um aumento em segmentos de primeira necessidade: lojas de alimentos, artigos para bebês, como fraldas e papinhas, bem como produtos de proteção pessoal como álcool gel, máscaras e luvas.

A necessidade de distanciamento social e o receio de descumprir as orientações das autoridades, gerou uma necessidade de  estocagem de produtos, o que justifica esse aumento, durante o período. 

Em tempos tão turbulentos como o atual, o consumo online se abalou muito pouco ou, em alguns casos, até cresceu!

É hora de abrir um comércio eletrônico? Não há motivos para não iniciar este tipo de comércio. Mesmo após o final da crise, você terá um novo canal de vendas, já em pleno funcionamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Olá! Podemos te ajudar?
Powered by